Notícias

5 de Abril de 2019
Prêmios

Painel reflete sobre combate às notícias falsas

Em comemoração à passagem do Dia do Jornalista, assinalado neste domingo, dia 7 de abril, profissionais da imprensa se encontraram na manhã desta sexta-feira, 5 de abril, em evento organizado pelo Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom). Realizada pelo décimo ano, a iniciativa constou de lançamento da sexta edição do prêmio de jornalismo promovido pela entidade, entrega da premiação da quinta edição e painel sobre “Notícia: a verdade, o falso e os reflexos na sociedade”.  

O presidente do Sicom, empresário Marcos Antonio Barbieri, destacou a valorização da imprensa como formadora de opinião e a influência que tem nos fatos e acontecimentos. “A imprensa tem hoje um poder gigantesco, seus profissionais estão no dia a dia e isso acaba fazendo com que as grandes decisões do país mudem”, assinalou ao cumprimentar os profissionais.   

Neste ano, o Prêmio de Jornalismo Mariangela Iop de Oliveira tem como temática central o comércio e as inovações. Com o apoio dos cursos de Jornalismo da Unochapecó e da Unoesc, é dirigido para jornalistas e acadêmicos de Jornalismo, que podem inscrever reportagens até 31 de outubro. No evento desta sexta, foi entregue a premiação à ganhadora da edição do não passado, jornalista Bia Piva.

Notícia e verdade

Para abordar a relevância da informação correta à sociedade, foram painelistas os professores Dirceu Hermes, do curso de Jornalismo da Unochapecó, e Éderson Mores, do curso de Jornalismo da Unoesc Xaxim, com mediação do jornalista e professor Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira, assessor de imprensa do Sicom. Dirceu disse que é importante que se estabeleça verdade com o sistema de valores, que necessariamente envolve a questão ética e moral da sociedade. “Prevalece a mentira e o papel do jornalista se torna frágil e questionável, simplesmente porque a informação que é resultado de um árduo trabalho de investigação, de apuração, não chegou ao encontro do ponto de vista do leitor”, afirmou Dirceu. Para ele, deve-se discutir “o momento ético e moral que estamos vivendo na sociedade”.

Considerando que pessoas recebem as notícias falsas o tempo todo, o painelista Éderson Mores assinalou que as informações falsas circulam através de pessoas próximas, que acabam compartilhando e fazendo com que o falso ganhe certa credibilidade. Destacou que o caminho para reverter essa situação é educação como um todo, “não somente dos profissionais de jornalismo”. Quanto ao papel do jornalista nessa reversão, argumentou que é de educar as pessoas “a serem um pouco mais críticas, com a concepção de que devem desconfiar, buscar uma segunda fonte, antes de compartilhar”.

EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 5/04/19