Notícias

13 de Fevereiro de 2020
Pesquisas

Cesto de produtos básicos sobe pouco e cesta básica apresenta redução de custo

Quase nada. É isso o que mostra a variação do cesto de 57 produtos básicos em Chapecó neste mês de fevereiro. Pesquisa realizada nos últimos dias 3, 4 e 6 mostra alta de 0,01% na comparação com o mês anterior. O valor passou de R$ 1.376,19 para R$ 1.376,29, o que representa alta numérica de 10 centavos.

Pesquisa realizada em parceria entre o curso de Ciências Econômicas da Unochapecó e o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó, por meio do Sicom Pesquisas, indica também a variação da cesta de 13 produtos. Em relação ao mês passado houve redução de 0,07%. O custo passou de R$ 327,43 para R$ 327,20, com diferença de 23 centavos a menos.

Em relação ao período de 12 meses, o cesto básico, que valia em fevereiro do ano passado R$ 1.363,18, teve elevação de 0,96%. Já a cesta básica, que em fevereiro de 2019 teve o custo de R$ 310,26, mostra aumento de 5,46%.

Grupo, subgrupos e produtos

Ao analisar separadamente os grupos e subgrupos, os produtos não alimentares apresentaram a maior variação entre janeiro e fevereiro, de 1,14%. Nos subgrupos, os materiais de limpeza registraram a maior variação positiva (2,40%) e os produtos de higiene tiveram alta menos expressiva (0,21%).

Os produtos alimentares tiveram redução de 0,33% entre janeiro e fevereiro. Ainda conforme a pesquisa Unochapecó/Sicom, o grupo dos serviços tarifados apresentou elevação de 0,71% no custo.

As maiores altas entre os produtos foram da alface, em 18,48%, e da batata doce, em 14,95%. As principais quedas de preço ocorreram na banana, em 18,79%, e no extrato de tomate, em 18,48%. A justificativa para o aumento no custo da alface, segundo comerciantes locais, decorre das altas temperaturas que a região alcança neste verão. Já a queda no valor da banana é resultado de aceleração no ritmo de colheita.

EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 13/02/2020