Notícias

17 de Setembro de 2019
Eventos

Advogada orienta sobre a utilização de compliance na gestão e prevenção de riscos

Compliance é uma ferramenta de gestão consciente e promoção do controle de risco por parte de empresas e outras instituições. Essa é uma das indicações feitas na manhã desta terça-feira, 17 de setembro, no evento Café & Negócios, realizado pelo Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom). A palestrante foi Anna Carolina Faraco Lamy, advogada do escritório Lamy & Faraco Lamy - Advocacia e Compliance, de Florianópolis.

O tema central da palestra foi “Compliance como ferramenta de controle interno e gestão de riscos”. A iniciativa foi dirigida para empresários e contabilistas e ocorreu também com a finalidade de assinalar o Dia do Contador, comemorado em 22 de setembro.

Na abertura do encontro, que teve o apoio do Sicredi, da Uceff, do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescon/SC) e do Sindicato Contabilistas de Chapecó e Região (Sindicont), o presidente em exercício do Sicom destacou a pertinência de tratar sobre compliance e a importância desse processo para as empresas. Ricardo Urbancic citou a parceria entre o Sindicato do Comércio e os contabilistas, inclusive quanto à compreensão dos processos de negociação coletiva. Acrescentou que o Sicom ingressou no período comemorativo de seus 50 anos “apoiando o livre comércio e a modernização das relações entre empresas e funcionários”.

Conformidade

Na abertura da palestra, Anna Faraco Lamy fez a relação entre compliance e conformidade e avaliou o crescimento desse processo nas empresas e instituições representativas dentro da necessidade de transparência e diante da execução de operações pelo Judiciário, polícias e Ministério Público, como a Lava Jato. Indicou que o estabelecimento dessa prática em qualquer organização requer o compromisso da alta diretoria e o cumprimento normativo voluntário.    

Para a palestrante, compliance “opera no âmbito da cultura organizacional para mudar paradigmas”.  Indicou, ainda, que leva ao cumprimento de regras e rotinas que evitam colocar a empresa em risco, mediante a obediência de sistemas normativos de controle e prevenção de riscos. Orientou que a implantação do processo numa organização deve seguir etapas, para a análise de riscos, a criação de manual e outras ferramentas e a realização de treinamentos.

EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 17/09/19