Como cortar custos do seu negócio na crise

Como cortar custos do seu negócio na crise

É fato que além de impactar o cenário da saúde mundial, o Coronavírus também vem provocando consequências na economia. A interrupção parcial ou total das atividades e a constante queda nas vendas, motivada pela insegurança e pelo desemprego, estão entre os fatores que colocam muitas empresas em risco.

E o seu negócio como vai? É certo que você também precisa reduzir custos, não é mesmo? Nós, do Sicom, estamos ao seu lado! Por isso, preparamos esse conteúdo com algumas dicas importantes para que você possa aplicar na sua empresa e manter a saúde financeira de seu negócio.

Repense o modelo de seu negócio

Antes de cortar custos, avalie outros canais de venda e repense o seu modelo de seu negócio. É preciso estar aberto às novas tendências e refletir se a maneira em que você está autuando ainda funciona. É fundamental se reinventar, investir em inovação e focar na tomada de decisões assertivas.

Você pode começar com avaliações básicas sobre a missão e a visão da empresa, por exemplo. Relembre o propósito e os objetivos a longo prazo e planeje mudanças que considere ideal para esse momento.

Lembre-se que, mais do que nunca, tornou-se indispensável estar presente nos meios digitais.

Meios digitais

Seu cliente está em casa e, consequentemente, mais conectado. Além disso, mesmo que ele também precise reduzir despesas nesse momento, cedo ou tarde, ele precisará de seu produto ou serviço e sai na frente quem dá visibilidade aos diferenciais que oferece. Isso, sem contar, que a cultura do digital ficará ainda mais forte a partir de agora.

Na área de alimentação, o delivery com o uso de aplicativo é uma alternativa importante, mesmo que você nunca tenha trabalhado dessa maneira.

Se você tem uma empresa na área do conhecimento, siga o exemplo das grandes instituições de ensino e coloque em prática as aulas digitais.

Da mesma forma, lojas e empresas que prestam serviços podem trabalhar com o WhatsApp Bussiness e apostar nas mídias sociais para divulgar e vender seus produtos ou serviços. O Instagram e o Facebook, por exemplo, são soluções ágeis, práticas e de baixo custo. Você precisa estar presente.

Corte pequenas despesas

Analisar com precisão os custos da sua empresa é fundamental para elencar quais despesas são primordiais para manter o negócio operando. A soma de itens simples a serem cortados pode representar uma boa economia no fim do mês. Entre os exemplos, podemos destacar a impressão de materiais e a redução da taxa de água e energia.

Impressão de materiais: Imprima só os documentos que foram imprescindíveis. Utilize o módulo econômico e procure utilizar os dois lados da folha.

Água e energia: Impossível viver sem, mas é possível economizar. Além de adotar práticas educativas para reduzir desperdícios, você pode substituir as lâmpadas incandescentes pelas de LED e instalar sensores que ativam a luz somente quando há alguém no ambiente. Outra dica é investir em torneiras e descargas mais econômicas para reduzir o gasto de água.

Dica extra: O investimento em painéis solares e ações para o aproveitamento da água de chuva também são apostas importantes para reduzir gastos e garantir economia significativa.

Negocie prazos

Outra medida fundamental para reduzir custos é a negociação de prazos com fornecedores para cumprir seus compromissos. Com isso, você ganha tempo para manter em dia as despesas e investimentos que não podem ser prorrogados.

Conheça as novas medidas do Governo

O Governo Federal vem adotando algumas medidas para incentivar o seu negócio. Mantenha-se atualizado, pois a iniciativa pode ser essencial para sua empresa. Confira as principais medidas temporárias:

Contribuição patronal: De acordo com o Portal da Agência Brasil, entre as medidas está o adiamento do pagamento da contribuição patronal ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e dos Programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep).

Os pagamentos de abril serão quitados em agosto e os de maio, em outubro. A medida antecipará R$ 80 bilhões para o fluxo de caixa das empresas.

Também foi adiada a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) do 15º dia útil de abril, maio e junho para o 15º dia útil de julho.

Outra iniciativa importante está relacionada à redução em 50% da contribuição das empresas para o Sistema S por três meses (de abril a junho).

Microempresas: As microempresas foram beneficiadas com o adiamento, por seis meses, da parte federal do Simples Nacional. Além disso, foi adiada, por três meses, a parte estadual e municipal desse regime tributário.

MEIs: Os microempreendedores individuais (MEIs) podem contar com o adiamento das parcelas por seis meses. Os pagamentos de abril, maio e junho passaram para outubro, novembro e dezembro. A medida vale tanto para a parte federal como para parte estadual e municipal (ICMS e ISS) do programa.

CLIQUE AQUI e confira todos os benefícios

Agora você já está por dentro de algumas dicas que podem ser essenciais para o seu negócio. É só avaliar o que é ideal nesse momento e colocar em prática. Fique conectado em nossos meios digitais e confira outras informações para fortalecer sua empresa.

 

SICOM

O SICOM – Sindicato do Comércio da Região de Chapecó – atua como um importante aliado das empresas do comércio. Tem como foco principal o associado, por isso, trabalha com o propósito de coordenar, proteger e defender todas as atividades econômicas relacionadas ao comércio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *