A influência do estresse na ocorrência do zumbido

O estresse é um dos principais motivos de procura ao médico, pois estamos expostos a crescentes demandas psicológicas, físicas, emocionais, econômicas e ocupacionais. Quando o estresse passa de um alerta, para enfrentarmos uma situação de perigo ou emoção forte, para um prologando estado de tensão, sintomas podem começar a aparecer.

O zumbido é um distúrbio auditivo que afeta aproximadamente 10-15% da população, sendo muito mais comum entre pessoas estressadas. Porque o sistema límbico, parte de nosso cérebro que administra as emoções, tem importante relação com a perpetuação do zumbido. Ou seja, o aborrecimento causado pelo zumbido torna muitas vezes o paciente refém da percepção de um som fantasma.

Assim, estudos mostram que cerca de 40% dos pacientes com zumbido apresentam desordens como depressão e ansiedade. Por isso, não subestime seu zumbido, ele pode ser mais um dos sintomas, como dor crônica, insônia, obesidade, relacionados ao estresse. Procure um otorrinolaringologista que avaliará seu sistema auditivo, para a investigação do zumbido, e que trace estratégias de combate ao estresse juntamente a demais profissionais de saúde, como psicólogos, psiquiatras, terapeutas ocupacionais, entre outros.

Sarah Cristina Beirith
Otorrinolaringologista
CREMESC 18734 – RQE 15154
Graduação pela Universidade Federal de Santa Catarina
Residência Médica pelo Hospital Federal da Lagoa

SICOM

O SICOM – Sindicato do Comércio da Região de Chapecó – atua como um importante aliado das empresas do comércio. Tem como foco principal o associado, por isso, trabalha com o propósito de coordenar, proteger e defender todas as atividades econômicas relacionadas ao comércio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *